Cegonha Medicina Reprodutiva

Funcionamento : Segunda a Sexta - 08h às 18h
  Contato : 31 2534-2710

Dieta da Fertilidade

Mas afinal o que é a Dieta da Fertilidade que tantos falam?

Saiba como ela surgiu e como ela pode até mesmo ajudar na perda de peso

A dieta da fertilidade não é uma novidade, ela já existe a muitos anos e foi baseada em um estudo iniciado em 1991 e realizado com aproximadamente 18.000 mulheres, por 8 anos. Anos depois, dois co-autores do estudo reuniram os resultados e descobertas e os transformaram em um livro chamado The Fertility Diet: Groundbreaking Research Reveals Natural Ways to Boost Ovulation and Improve Your Chances of Getting Pregnant – publicado em 2007.

Segundo um dos co-autores, Jorge Chavarro, MD, professor associado de nutrição e epidemiologia em Harvard T.H. Chan School of Public Health, boa parte das recomendações dadas no livro ainda são válidas, mesmo tendo mais de 10 anos de sua primeira edição. Além disso, ele diz que, salvo algumas exceções, seguir esse tipo de plano alimentar é saudável para qualquer pessoa – que esteja tentando engravidar ou não.

E a seguir esclarece quais os princípios básicos da dieta de fertilidade, o que mudou ao longo dos anos e por que algumas mulheres podem querer experimentá-la.

Quais são os alimentos que podem ajudar a engravidar?

Na década de 90, Chavarro e seus colegas sabiam que o excesso de peso poderia reduzir as chances de uma mulher engravidar. Mas eles também queriam saber se a nutrição tinha um papel adicional na fertilidade, independentemente do peso corporal. Por isso, acompanharam aprox. 18.000 mulheres por oito anos, monitorando quem engravidou e com que frequência ingeriam alimentos, bebidas e suplementos específicos.

“O que descobrimos é que, com algumas exceções, as mesmas coisas que você recomendaria para a prevenção de doenças cardiovasculares ou para a longevidade geral ou para uma alimentação saudável se sobrepõem bastante ao que recomendamos para prevenir fatores de risco para a infertilidade”. diz, Chavarro.

A influência da dieta na ovulação

A Dieta da Fertilidade, especificamente, sugere que comer uma dieta rica em gorduras saudáveis, grãos integrais e proteínas à base de plantas pode ajudar a melhorar o suprimento de óvulos na mulher – o que poderia ajudá-la a ovular com mais regularidade e engravidar mais facilmente. Esses alimentos também podem ajudar a regular os níveis de glicose e insulina no sangue, que também desempenham um papel na ovulação.

Por outro lado, conforme descrito no livro, o consumo de muitas gorduras saturadas, carboidratos refinados, refrigerantes açucarados e carne vermelha está associado à diminuição da oferta de óvulos e a uma dificuldade maior de concepção.

O ácido fólico

Uma diferença entre a dieta de fertilidade e uma dieta normal é a quantidade de ácido fólico recomendada. Segundo constatado pelo Dr. Chavarro em diferentes pesquisas – altas doses de ácido fólico estão associadas a uma maior probabilidade de uma gravidez saudável.

“O ácido fólico é um fator muito importante na prevenção da infertilidade, até mesmo em níveis mais altos do que o recomendado para a prevenção de defeitos congênitos”, diz o Dr. Chavarro. Verduras, frutas e nozes são ricos em folato (a forma de ácido fólico que ocorre naturalmente nos alimentos), e tomar um multivitamínico com 400 microgramas de ácido fólico também pode garantir a obtenção dos níveis adequados.

Seguir essa dieta não garante que uma mulher engravide, diz o Dr. Chavarro. (E ainda ressalta que a dieta não foca nos problemas relacionados a fertilidade masculina.) Mas a pesquisa mostra que ela pode ser útil também em casos de síndrome dos ovários policísticos, fibróide uterina, pólipos ou endometriose.

E quanto aos laticínios?

Um elemento da dieta de fertilidade não resistiu ao teste do tempo – os laticínios.
A pesquisa inicial de Chavarro descobriu que as mulheres que consumiam leite, queijo e iogurte com alto teor de gordura eram mais propensas a engravidar naturalmente do que aquelas que consumiam leite desnatado e com baixo teor de gordura.

“Isso é contraditório com o que é recomendado em uma dieta para manter a boa saúde cardiovascular”, ressalta o Dr. Chavarro. Os autores do estudo não sabiam exatamente o porquê, mas suspeitavam que talvez o laticínio com alto teor de gordura estimulasse a produção de um hormônio chamado fator de crescimento semelhante à insulina (também conhecido como IGF-1), que pode estar relacionado à ovulação e fertilidade.

Mas os estudos desde então têm sido contraditórios ou inconclusivos; alguns não encontraram relação entre laticínios (alto ou baixo teor de gordura) e fertilidade, enquanto outros descobriram que laticínios com alto teor de gordura estavam realmente ligados a piores resultados da gravidez.

“De todas as descobertas publicadas em nosso livro, essa foi a menos consistente na literatura ao longo dos anos”, diz o Dr. Chavarro. “No livro, fomos muito cautelosos ao apresentar essa descoberta e, desde então, acrescentamos uma camada extra de cautela. E pode ser que tenhamos errado nesta.

Afinal, a dieta da fertilidade é recomendada?

Além de propícia à concepção, a Dieta da Fertilidade também pode vir acompanhada de outras vantagens.

“É provável que você perca peso com a dieta de fertilidade”

, de acordo com a análise da U.S. News.

“Embora esta seja uma dieta voltada para melhorar a fertilidade, você também notará perda de peso, desde que siga as recomendações cuidadosamente e faça exercícios físicos regularmente”.

Também não é uma dieta particularmente difícil de seguir. (Em 2019, a dieta da fertilidade foi classificada pela US News, em quinto lugar entre as dietas mais fáceis de seguir.)

Como não possui ingredientes exóticos e de grupos específicos, a maioria dos restaurantes oferece pelo menos algumas opções que se encaixam nos critérios gerais da dieta.

“Além disso, as mudanças na dieta requerem um planejamento e a pessoa deve se habituar, prestando atenção aos fatores nutricionais impressos nos rótulos dos alimentos.”

Se você está tentando engravidar, seguir a dieta da fertilidade pode melhorar suas chances, diz o Dr. Chavarro. Mas ele ressalta que a alimentação não pode ser aplicada como uma solução para todas as causas de infertilidade, incluindo os problemas genéticos, trompas de falópio bloqueadas, infecções ou problemas relacionados à infertilidade masculina.
Se estiver há mais de um ano tentando engravidar sem sucesso (ou há mais de seis meses, caso tenha mais de 35 anos), converse com o seu médico sobre as melhores opções de tratamento.

Texto traduzido e adaptado do original: https://www.health.com/weight-loss/fertility-diet

Consulte seu médico e cuide-se!


Estes artigos também podem te interessar:
Dieta e Fertilidade: entenda a verdadeira relação entre elas
Adoçantes artificiais podem reduzir a fertilidade

Compartilhe: